sábado, 10 de novembro de 2007

Degustação de Nuvens

Em ação de recontrução da imagem, a companhia Varig distribuiu vôo “grátis” aos clientes da concorrência no aeroporto de Congonhas (SP) e no Santos Dumont (Rio). Modelos contratadas abordavam os passageiros que estivessem com bilhetes de outras empresas, e os convidava a substituir seu vôo por um gratuito na Varig.

Na verdade, para o cliente mesmo nada era gratuito, já que ele pagou pela passagem na outra companhia aérea. Porém, havia a facilidade de adiantar o horário do vôo e contar com um serviço, teoricamente, mais completo. Para a empresa nada de prejuízos, uma vez que a ação oferecia assentos que ficariam desocupados de qualquer maneira. Esta foi a deixa que a Varig encontrou para mostrar que continuam bons depois de terem sua imagem abalada com a crise.

O pessoal contratado pela Varig também distribui panfletos com informações sobre o novo serviço e pontualidade e regularidade da empresa. "Fizemos uma pesquisa que mostra que o passageiro ainda não tinha certeza de que a Varig estava voando com regularidade e pontualidade.", diz Luiz André Patrão, diretor de marketing e planejamento. Ele salienta que não há emissão do bilhete para que o passageiro voe pela Varig e que o embarque é imediato caso este seja "convidado a conhecer o novo serviço".

Fato é que a concorrência não achou legal a Varig sair por aí aliciando passageiros, e a TAM entrou com uma reclamação formal junto à Infraero e à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Bom, mesmo com toda queixa da concorrência o resultado para Varig ficou positivo, superando todas as outras companhias na ocupação da ponte aérea.



3 comentários:

Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael disse...

Boa Bel!

A Varig tinha que fazer isso agora com os clientes da BRA. =D

Natália Ribeiro disse...

Ótima estratégia!

Em tempo de crise aérea nada melhor do que oferecer um serviço que preze pela pontualidade.