quarta-feira, 1 de julho de 2015

CLOUD HQ : The best sync tool for cloud services!

I am an avid user of the cloud and cloud storage. Dropbox, having been synced to my external hard drives on two computers, is my default “hard drive.” I am also an avid user of Evernote. I mean to use Google Drive and my other cloud accounts more, but the hardest thing is to remember where my “current” versions of files are. So I stuck with just Dropbox for files and Evernote for notes.

What I kept looking for and needing was a way to have everything stay connected. I thought about adding my Dropbox folder inside my Drive folder, but I was afraid of what would happen to the several machines that I only sync certain folders with.
As you can see, I spend quite a bit of time contemplating file management setups! So naturally I was interested when I read a review of Cloud HQ and decided to give it a shot. Here’s what I learned about their cloud storage solutions:
You start with creating a free trial account on one of their tiers that vary by the number of accounts and paired connections you need. Then you pick what services you would like to sync with one another.
I began with Dropbox, as it is my lifeline to my world and my work. Since I wanted to have more access to my Google Drive files and have them up to date, as well as having better access to my Dropbox files on my Chromebook, I paired these two first.
Once in the Synchronization Pairs screen, simply select which accounts – and which folders in those accounts – to pair together. In addition, I selected my SkyDrive account to one-way sync with Google Drive, and to have it convert my documents to Drive documents upon sync. With both pairs, I also chose to create backup archives in the process.
I have far more cloud storage accounts then I know what to do with. Being able to use them and sync things allows me to take advantage of them. Now, instead of always changing where I am saving my Microsoft Word documents, I can actually use the cloud service that they offer, then just sync it to where I am more familiar. At the end of the day, what I really have is more options and more comfort.
Really, if you are someone who cares about file management and/or data safety, this is a service you should look into. I work from multiple places and the idea that I can just hit save in my office to save something to Dropbox, then go open it on my laptop, then save it again and be able to open that same file in Google Drive on my Chromebook and have each time be the most recent version of that file, is an amazing feat in technology.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Nadou contra a corrente e ....

Se afogou. Coitado.



A ideia era ousada, mas não conseguiu se sustentar. Após seis meses de operações, 16 volumes e 80 mil cópias distribuídas - além de 100 mil baixadas da rede -, o "The Printed Blog" anunciou o fim do projeto. A notícia é do site "TechCrunch".

O "The Printed Blog" era uma ideia simples, mas criativa, que ia na contramão do fluxo atual da mídia. Tratava-se de um jornal que selecionava notícias em blogs pela internet e colocava-as em papel impresso, com fotos vistosas e em boa resolução e que era distribuído gratuitamente em semáforos de Chicago, São Francisco, Los Angeles e Nova York, nos Estados Unidos. Planos futuros incluíam a impressão de cópias personalizadas para bairros e anúncios locais em suas páginas.

De acordo com o blog "Small Business" do site Chicago Business, o fudador do jornal, Josh Karp, considerava sua ideia um dos negócios mais promissores da América. E mesmo com todo o burburinho criado, ele não conseguiu sustentar seu projeto ao falhar na negociação com investidores.

Na época de seu lançamento, o "The Printed Blog" ganhou notoriedade através de outros jornais como o The New York Times, BusinessWeek e Irish Times. Depois de dois volumes e um certo sucesso, Karp já pensava em levar sua cria a outros locais, como África do Sul e Fairbanks, no Alasca, noticiou o site "Editor&Publisher".

Os poucos volumes foram custeados pelo próprio Karp, que disse em entrevista ao "Chicago Business" que seu primeiro erro foi a perda do foco, mas que a crise econômica também não ajudou em uma época de fechamento de muitos outros jornais, alguns deles grandes e tradicionais veículos.

O objetivo do "The Printed Blog" era levar conteúdo online de qualidade ao meio físico, alcançando pessoas que ainda não se aventuravam na internet, mas não conseguiu convencer investidores de que esse seria um produto viável e rentável. Além disso, Karp não contava com a explosão do acesso à rede pelos celulares, que transformou seu jornal em algo praticamente inútil.

"Mesmo com um significante investimento de minha parte e o apoio adicional de seis ou sete cartões de crédito, não pudemos arrecadar o valor mínimo de dinheiro necessário para alcançar o próximo estágio de nosso desenvolvimento", disse Karp em seu blog. "Essa foi uma decisão difícil para nós, mas a realidade financeira da situação demandou que suspendêssemos as próximas publicações imediatamente e definitivamente", completou.

Antes de sua saída do mercado, Karp deixou uma previsão de como será o jornalismo nos próximos anos: "Acredito que os próximos anos estarão entre os períodos mais excitantes da história do jornalismo. A indústria está à beira de grandes mudanças e, quando for redefinida, ficará muito diferente do que é hoje e funcionará consideravelmente melhor".

O site do "The Printed Blog" pode ser acessado pelo endereço www.theprintedblog.com/.

Fonte: Geek

Crianças passam 63% do tempo livre na internet



Crianças entre dois e 11 anos estão passando mais 63% de seu tempo na internet, em relação ao que passavam há cinco anos, segundo uma pesquisa feita pela Nielsen Online.

De acordo com o estudo, em maio de 2004, as crianças passavam cerca de sete horas por dia conectadas e, em maio de 2009, estão passando nove horas por dia online.

Além disso, a pesquisa mostrou que aumentou o número total de crianças conectadas. O número chegou a 16 milhões em todo o mundo, crescendo cerca de 18%, e agora os pequenos representam 9,5% da comunidade online.

Ok isso não é novidade pra ninguém essas crianças nasceram com internet e têm o mouse como extensão do braço.
Mas fala sério. 63% do tempo em internet!

Uma comunidade de twitters???




O Technorati, que monitora a blogosfera, anunciou o Twittorati, um serviço que monitora a relaçao entre blogs e Twitter. Para isso, acompanha os blogueiros mais influentes e seus perfis no serviço de microblog monitorando, por exemplo, o que eles estao twitando. Além disso, compara as tendências nos blogs e no Twitter e mostra os posts de blogs mais twitados. Para o Technorati, o Twitter nao está substituindo os blogs, mas se tornou um grande veiculo de awareness para blogueiros e leitores de blogs .
E agora criam uma "seleção" do que os blogueiros estão twittando??
Onde vamos parar? ;)

Fator genético determina rede de relacionamento



Um estudo das universidades da Califórnia, San Diego e Harvard indica que a maneira como uma pessoa constrói sua rede de relacionamentos sociais é em parte resultado de fatores genéticos. A pesquisa foi realizada com 1,110 adolescentes gêmeos idênticos ou fraternos e diz que a genética influencia a posiçao que uma pessoa ocupa na sua rede de amigos - se ela é o centro ou se ela é satélite. E também está relacionada à quantidade de amigos que se tem e à tendência de uma pessoa apresentar seus amigos uns aos outros. Segundo a Scientific American, a base genética relacionada ao estudo é provavelmente uma ampla combinaçao de genes ligados a traços de personalidade, como humor, generosidade e extroversao.
Ou seja, desculpa se você não tem amigos e ninguém te segue no twitter. Reclame com seus pais.
Ou então,crie um perfil fake de alguém famoso vide Vitor Fasano e Sasha Meneghel.
Tem sempre uma solução pra tudo ;)

As velhas midias nunca acabam.


A portion of the Times' survey on charging for access to its Web site.

Saiu hoje no bluebus uma nota dizendo que o NYT O New York Times está testando a aceitaçao da cobrança de USD 5 por mês para acesso à versao online. O jornal está fazendo uma pesquisa por email para apurar a reaçao dos assinantes - para quem assina a versao impressa haveria um desconto de 50%. A pesquisa também pergunta como a cobrança pelo acesso à ediçao online afetaria a assinatura do impresso. Atualmente, o conteúdo online do jornal é gratuito.
Novas alternativas sempre aparecem e eu duvido que a midia acabe.
Agora, se é válido pagar pra acessar conteudo online? Veremos.


Para os vegetarianos de plantão essa ação não deve ter sido nada interessante. Mas para os comedores de peixe, sim. Será? Bom,de qualquer forma, quem passou perto do restaurante Fish Franke, em Frankfurt, Alemanha,sendo vegetariano ou não, com certeza teve a atenção despertada. O posicionamento do restaurante é comunicar que são especializados em peixe fresco. Acho que de uma maneira arrojada até que eles conseguiram passar isso, né?