sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

"Crianças deveriam fazer desenhos, não sapatos. Salve uma criança."


Isso é que é marketing de guerrilha. Eu só não consegui ainda concluir uma hipótese possível para descobrir como a fábrica deixou passar isso... Porque não acho que tenha sido uma idéia da marca, pelo que eu vi. Vejo essa ação como um possível viral, porque todo mundo vai querer mostrar pros conhecidos o que veio na caixa do seu novo tênis/sapato e porque pode gerar uma mudança de comportamento: além de poder ajudar uma criança, as pessoas podem começar a não comprar mais o tênis/sapato daquela ou de outra marca por boicote.

7 comentários:

Thaís Freitas disse...

A idéia é ótima, mas eu provavelmente ia jogar o papel de dentro fora sem nem reparar no desenho... hehe

Lully disse...

Há!

eu achei mt bom!!!!!!!
pq além de ser um otimo mkt, ataca a concorrente de forma não agressiva.
Isso podia virar outdoor, backbus, frontlight, banner, emailmkt, filme..
huaihiuaha imagine, podia só completar:
"salve uma criança. não use nike!"

Priscilla disse...

Ideia criativa, mas acho q ninguem ia deixar de usar nike por causa disso. Nike eu acho ne hehe. Enfim, aonde isso foi divulgado?? fiquei curiosa..
e tb ia jogar o papel fora sem abrir =p

Renato Gil disse...

Pri,

Acho que essa foi uma ação da própria marca sim... pra atacar a concorrente, que é acusada constantemente de usar o trabalho infantil... achei mto bom... de certa forma eles se posicionam como uma amrca que tem responsabilidade social com esta campanha...

Lully disse...

não entendi renato..

como assim a nike fez essa campanha?
não entendi nada..
eu fiz uma suposição dizemdo que essa marca estava atacando a concorrente e tal.. mas a propria nike fazer isso?
acho q não. afinal, é ela que tem 'fabrica' na indonésia com trabalho de crianças de oito anos de idade por 16 horas/dia, ganahando centavos por hora.
não acho q a propria nike faria isso.
eu adorei!!!

Kyo Carleon disse...

Concordo com a Priscilla...

Acho que quase todo mundo que compra um nike sabe muito bem do processo de fabricação ou pelo menos já escutou algo sobre.
As pessoas não se importam, desde que não afete elas.

Heleninha disse...

Minha primeira impressão foi excelente, mas quando parei um pouco pra refletir, achei muito estranho. Porque a pessoa acabaria associando a produção daquele sapato ao problema, né? Isso geraria desconforto. Eu acho. Além de correr muitos riscos de passar desapercebida, como a thaís falou.