sábado, 13 de outubro de 2007

UMA CÂMERA NA MÃO E A INTERNET NA CABEÇA

A união da Internet com Cinema costuma dar resultados interessantes – especialmente para a divulgação dos filmes. Exemplos não faltam: o mega êxito de “Bruxa de Blair” - graças à publicação, na época de seu lançamento em 1999, de um site na Internet com notícias falsas a respeito de três estudantes desaparecidos - ou ainda os milhares de downloads ilegais de “Tropa de Elite”.

Mas e quando a Internet vai além da simples divulgação?

Um exemplo brasileiro recente disso é o filme “Cafuné”, que teve todas(!) as suas cenas disponíveis na internet para que o internauta criasse uma versão do filme, ordenando as cenas como quisesse. Uma parceria do Terra com a distribuidora tornou isso possível. Noticiado como o primeiro filme a ser veiculado simultaneamente na Internet e nos cinemas, o resultado, apesar de interessante, não parece ter dado muito certo. Não conheço um ser humano, além da Mariana, Victor e Helena Simon, que tenha ido ao cinema ver o filme – que, aliás, foi mal de bilheteria.

Um outro exemplo, internacional (e bem sucedido):
Há três anos atrás, circulava na Internet um blog de um maluco que tinha um objetivo: Conhecer a atriz Drew Barrymore. Mais que isso, circulava na Internet um trailer de um documentário desse sujeito.

Uma câmera comprada em uma loja de equipamentos que deveria ser devolvida em um mês para que ele pudesse reaver o dinheiro possibilitou a realização desse documentário. O sujeito, que estava desempregado e era ex-presidente de um fã-clube para Drew Barrymore(?), tinha 30 dias e 1000 dólares para realizar o seu sonho. O problema é que ele era o típico ''loser'' americano: não era bonito, não tinha dinheiro nem emprego e sequer conhecia pessoalmente Drew!


Aí que entra a internet: Brian – o tal fã - lançou um blog sobre sua empreitada, onde havia um trailer do filme. O trailer mostrava desde Brian entrevistando pessoas na rua, contando sua saga apaixonada; até suas tentativas de entrar em contato com alguém que conhecesse (e pudesse lhe apresentar) Drew Barrymore. Os transeuntes entrevistados davam o maior apoio. No site, o visitante podia assinar a lista de visitas (eu lembro que há dois anos atrás eu assinei! Hehehe) para que a atriz pudesse ver quantas pessoas queriam que ele realizasse seu sonho de adolescência.

Depois do blog e milhões de assinaturas, o cara virou celebridade. Participou de programas de TV nos Estados Unidos e, é claro, realizou o seu sonho de conhecer Drew Barrymore. O trailer falso divulgado no blog virou o trailer do documentário real que foi exibido nos cinemas. O documentário, que é bem engraçado, ganhou vários prêmios internacionais, participou do Festival do Rio ano passado e é um dos documentários mais vistos no mundo. O filme com título traduzido para “Meu Encontro com Drew Barrymore” está agora disponível em DVD.


Ah, o tal site (que já não é mais o mesmo):
www.mydatewithdrew.com e o trailer original (com legendas em japonês - ou seria mandarim?):http://www.youtube.com/watch?v=fJXkCInNeLI

Beijos e abraços!

4 comentários:

Mariana Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana Matos disse...

sim, fui assistir "cafuné", eu e mais umas 200 pessoas acredito rsrsrsrs mas o filme eh legal, mostra q dá p filmar e ser assistido por pessoas sem vínculo c vc e sua família, num cinema d verdade, sem gastos megalomaníacos de produção! - avante cineastas da uff!!!! =)

no entanto não fui ver o "meu encontro com drew"... o clássico modelo "besteirol americano", que teve início no gênero comédia (american pie, por exemplo), espalhou-se para o terror (ou pseudo-terror, vide "a profecia -666"), agora também em documentário e com suporte de internet!

não tiro, porém, o mérito de "bruxa de blair". Fenômeno em gastos de produção, em retorno de lucro, em nº de pessoas não vinculadas com a equipe do filme nem com sua família que assistiram (rsrsrsrs) e, por fim, em vanguarda! o filme eh uma experiência sinestésica... (há quem tenha vomitado após tantos looping de câmera)

E VIVA A INTERNET! - para o bem e para o mal...

Buzina Louca disse...

Fantástica as ações. Essa conexão de internet com cinema se bem planejada pode gera muita coisa boa. Putz, não vi a ação da Drew, mas gostaria de ter visto. Boa Rafael.

Mauro Junior disse...

O problema de "uma câmera na mão e a internet na cabeça" é quando as pessoas extrapolam os limites da razão para conseguir aparecer e arrecadar um dinheiro na...

http://noticias.uol.com.br/tabloide/tabloideanas/2005/03/22/ult1594u561.jhtm
http://www.savetoby.com

Um louco americano, ameaçava matar o coelho se não recebesse U$50 mil. Pior que não sei que fim levou essa história...