segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Troco um clipe vermelho


Não foi uma ação publicitária. Mas podemos aprender muito com a iniciativa.

Um homem. Um sonho. Um clipe de papel vermelho.


Usando como ferramenta apenas um blog, Kyle MacDonald iniciou um sistema de trocas online que começava com um clipe de papel e tinha como meta uma casa. Apenas 14 trocas depois, ele cumpriu seu objetivo, valendo-se de um misto de ousadia e criatividade. Em seu blog ele oferecia sua posse em troca de algo melhor ou maior. A pessoa interessada teria sua foto e justificativa estampadas no post; um numero cada vez maior de fãs desejava fazer parte desta saga, e a história foi crescendo.

A 6ª troca foi acertada com um famoso locutor de rádio do Canadá, que anunciou-a em seu programa, e daí para o mundo. Logo choveu convites para Kyle aparecer em entrevistas de redes como a CNN e CBC. A partir daí, as trocas foram ficando cada vez mais interessantes. Viagens, contratos de gravação, papéis em filmes de Hollywood: taí a força do UGM - User Generated Media.

Exatamente 1 ano depois, Kyle concretizava a última troca de sua saga e cumpria seu objetivo. Hoje ele mantém seu blog com excentricidades clípticas mundo afora e divulgando seu livro.

É gente. Hoje em dia é uma idéia na cabeça e um post no ar. E desse jeito concretizamos nossos sonhos mais malucos =)


Viva Kyle MacDonald e seu clipe vermelho.

2 comentários:

Chaché disse...

Faltou dizer que tem uma comunidade no orkut prá ele!
hehehehe

Agora falando sério... Fico tentando lembrar de exemplos brasileiros disso... E é triste chegar a conclusão que o nosso exemplo de blogueiro brasileiro bem sucedido é a Bruna Surfistinha.

Aliás, alguém sabe se aquele cara do "QUERO UM EMPREGO NO GOOGLE" conseguiu o emprego?

Mauro Junior disse...

A Revista Veja, em junho de 2005 ( http://veja.abril.com.br/010605/p_086.html ) e uma outra edição que não lembro o número, fez reportagens sobre alguns blogs famosos no Brasil... porém nenhum deles comparável ao oneredpaperclip em termos de criatividade. Como disse o Chaché só a Surfistinha mesmo...